Hiperidrose

Hiperidrose: Qual o significado? Como tratar?

Cerca de oito por cento dos brasileiros sofrem da chamada hiperidrose na qual o corpo transpira sem controle, excessivamente.

A transpiração intensa em geral é limitada a áreas individuais e afeta as axilas principalmente. Nesse caso, os médicos falam de hiperidrose leve. Se os suores afetam todo o corpo ocorre a hiperidrose generalizada.

Basicamente, a transpiração patológica pode ser dividida em duas formas:

  • Hiperidrose primária
  • Hiperidrose secundária

Se houver hiperidrose primária nas axilas a produção pesada de suor é gerada por situações de estresse psicológico como dor, medo ou excitação – a causa exata está desconhecida.

Caso o suor nas axilas ocorrer devido à hiperidrose secundária se deve procurar a causa de outra doença subjacente (por exemplo, uma tireoide hiperativa).

As axilas ou as glândulas sudoríparas por causa do suor costumam causar umidade visível nas roupas nos dois casos.

Sudorese nas axilas: Uma função corporal útil

Especialmente no verão o suor nas axilas é um problema real para muitas pessoas. A camiseta deve ser trocada constantemente. Por causa disso, o suor não tem uma boa reputação.

Também não se deve esquecer que a transpiração é uma função protetora muito útil do corpo contra o superaquecimento.

Os seres humanos têm um total de cerca de dois milhões de glândulas sudoríparas, muitas das quais estão nas axilas. Mesmo que não nos exercitemos fisicamente e o clima seja agradável, elas produzem cerca de 200 mililitros de suor por dia.

Essa quantidade pode aumentar dez vezes durante o exercício ou o calor. A secreção aquosa, secretada pelas glândulas sudoríparas, proporciona um resfriamento agradável através da evaporação e regula a temperatura do corpo.

O que você deve saber sobre o cheiro do suor?

O suor fresco é inodoro por si só. A maior parte tem água, o restante possui minerais, ácido úrico, ácido lático, açúcar, e, principalmente, ácidos graxos.

É via ácidos graxos que as bactérias vivem nas partes quentes e úmidas do corpo. Elas quebram o ácido graxo, que entre outras coisas cria ácido butanoico responsável pelo odor rançoso.

Além disso, o cheiro é influenciado pelo tipo de bactéria:

Difteróides lipofílicos: Fornecem um odor descrito como pungente. As bactérias são encontradas principalmente em homens.

Aliás, a decomposição do suor masculino cria produtos de degradação do hormônio sexual testosterona, que podem ser atraentes para as mulheres até certo ponto.

Micrococos: A bactéria causa um cheiro fraco e levemente ácido, que é predominantemente encontrado em mulheres.

Métodos de tratamento para hiperidrose

Botox, cirurgia e soluções naturais com ervas são as formas mais práticas de combater este problema. Existem alguns processos cirúrgicos para gerar uma solução durável.

Use um desodorante quem mantém a pele seca. Se não existir êxito vale a pena buscar um antiperspirante que bloqueia partes do corpo contra qualquer geração de suor pelo tempo de 72 horas consecutivas.